Home page Vários assuntos Cuide-se Contato Imprensa
Home page
Vários assuntos
Cuide-se
Contato
Imprensa
BLOG
 

O MEDO DE VOAR

 

"Um dos efeitos do medo é perturbar os sentidos e

fazer com que as coisas não pareçam o que são."
(Miguel de Cervantes - Dom Quixote - sec. XVII)

Você já deve ter conhecido alguém que tem medo de voar de avião. E o que é pior, precisa viajar devido ao seu trabalho ou quer conhecer outros lugares. O que para alguns poderia ser momentos de descanso, de estudo ou de possibilidade de conversar com alguém, para outros a viagem é uma tortura, uma luta consigo mesmo permeada de intenso sofrimento. É muito comum, jovens e adultos na faixa etária dos 20 aos 40 anos, quando estão na plenitude da vida profissional, apresentarem uma ansiedade excessiva por determinadas situações como viajar de avião. E podemos nos perguntar: por que sentimos este medo de voar?

O sentimento de medo faz parte da natureza humana, nos dá limites e aciona nossa ansiedade nos colocando em posição de alarme, física e psiquicamente: dilata as pupilas, acelera o coração, enrijece a musculatura, ou seja, nos prepara para reagir. A ansiedade normal é, então, um instrumento de adaptação às exigências da vida. Já era assim nos tempos das cavernas quando o homem enfrentava animais invasores e é assim ainda hoje, quando nos deparamos com determinado perigo ou ameaça de algo desconhecido.

Para quem tem medo de avião, não adianta explicar que esta é uma opção mais segura do que o transporte rodoviário. O fato de um vôo ser percebido como estressante não depende apenas da natureza do mesmo, mas sim do significado que atribuímos a este evento e da nossa própria personalidade. Ou seja, nossa insegurança e nosso nível de ansiedade alterada estão diretamente relacionados à nossa história de vida: nossas perdas, rejeições, responsabilidades e expectativas, bem como, com a nossa vivência atual de eventos estressores: a morte de um ente querido, o nascimento de um filho, ser dispensado ou promovido no emprego, casar-se ou separar-se.

Então, o medo de voar é um sintoma, algo que vem nos contar o que talvez já tenhamos esquecido ou não estamos conseguindo lidar. É uma representação simbólica da ansiedade que habita em nossa alma. O medo de voar pode simbolizar muitos outros medos, como por exemplo, o medo de perdermos o controle, a insegurança de estarmos longe de casa ou a dificuldade de lidar com novos desafios propostos em nossa empresa. Estarmos nas alturas pode nos fazer deparar com a amplitude da tarefa que temos à frente seja no âmbito profissional ou pessoal.

Então, a questão não é por que sentimos medo? A questão é: o que este medo está querendo nos dizer? Como podemos lidar com ele? Sentir medo é extremamente humano. A maneira como lidamos com este sentimento é que nos diferencia. Podemos reprimi-lo, ignorá-lo ou aceitar que ele faça parte da nossa vida e passe a nos dar a oportunidade de nos conhecer melhor.

Se tivermos a coragem suficiente para suportar o medo e discuti-lo numa terapia, poderemos com ele, descobrir um caminho de autoconhecimento rumo à cura. Suportar o medo e não fugir à luta é uma atitude heróica que nos faz crescer como ser humano, nos faz ser honestos com os nossos conflitos e nos torna responsáveis por nossas escolhas.


Tell a Friend


Comentarios
Site Map